Candidatos a governador SP 2022

Atualizado em

As eleições acontecem somente em 2022, no entanto, nos bastidores da política os cenários começam a se desenhar. Ainda não está definido quem serão os próximos candidatos a governador de SP em 2022, porém, analisando a conjuntura é possível prever alguns nomes. Entre eles está Márcio França (PSB), Paulo Skaf (MDB) e Luiz Marinho (PT).

O principal nas eleições é votar consciente, ou seja, não desperdiçar o voto. Para isso o mais importante é pesquisar.

Quanto mais informações você tiver sobre o seu candidato melhor vai ser. Descubra o passado do seu candidato. O que ele já fez quando esteve no poder. Quais são os projetos e as bandeiras que defende. Como ele pretende colocar esses projetos em prática.

São Paulo possui diversos problemas que precisam de atenção urgente. Entre eles o trânsito caótico, que é um desafio para o próximo governador. A violência crescente, e os problemas na educação e saúde pública.

Candidatos a governador SP 2022

O próximo candidato a governador precisa estar preparado para enfrentar esses problemas e propor soluções viáveis para o Estado de São Paulo.

Nos bastidores da política, os próximos candidatos ao governo começam a se preparar, e em 2022 a disputa promete ser acirrada. Entre os possíveis candidatos destacam-se: O advogado Márcio França (PSB), o empresário Paulo Skaf (MDB) e o metalúrgico Luiz Marinho (PT).

Vamos conhecer um pouquinho de cada um dos possíveis candidatos para votar de forma consciente em 2022.

Márcio França (PSB)

Márcio França (PSB)

Márcio França é advogado, foi governador do Estado de São Paulo de 2018 a 2019, quando o Geraldo Alckmin abdicou do cargo para concorrer a presidente da República.

Márcio entrou na política ainda no movimento estudantil sendo presidente do Diretório Acadêmico da Universidade Católica de Santos. Após se formar ele atuou dez anos como oficial de justiça.

Em 1986 foi eleito vereador em São Vicente, e em 1996 foi eleito prefeito da mesma cidade e reeleito em 2000. Em 2006, se elegeu deputado Federal e se reelegeu em 2010. Já em 2011 assumiu a Secretaria de Esportes, e acabou assumindo o cargo de governador em 2019 quando Alckmin abdicou do cargo.

Propostas

As propostas de Márcio França são bem parecidas com o programa de governo que Geraldo Alckmin (PSDB) já vinha apresentando. Com algumas novidades.

Em abril de 2018 França afirmou que a Brigada Militar poderia ser mais eficiente se não precisasse atender tantas brigas domésticas. Já em seu plano de governo, quando concorreu nas últimas eleições, o candidato afirmou que faria uma Ronda Maria da Penha para combater a violência doméstica.

Ele acredita que todos os alunos ao saírem do Ensino Médio devem ter acesso à Univesp – (Universidade Virtual do Estado de São Paulo) em cursos como pedagogia e contabilidade.

Outra proposta de França é que implantar uma nova malha rodoviária que ligue a Região Metropolitana de SP ao Porto de Santos.

Escândalo

O Ministério Público de São Paulo instaurou em janeiro, um inquérito para investigar o ex-governador Márcio França (PSB) pelo suposto uso do helicóptero Águia, da Polícia Militar, para fins políticos e particulares.

O promotor Ricardo Manuel Castro, da Promotoria do Patrimônio Público e Social da capital, recebeu depoimentos anônimos informando que França usou a aeronave. “Para seu deslocamento e de seus familiares para atividades pessoais”. E “em atos de campanha política”. França negou as acusações.

Paulo Skaf (MDB)

Paulo Skaf (MDB)

Paulo Skaf é empresário do setor têxtil. Desde cedo administrou as fábricas da família. Ele sempre foi atuante nas instituições que defendem o setor empresarial.

Skaf foi presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo(Ciesp), do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP). Presidente do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP), do Instituto Roberto Simonsen (IRS) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae/SP). É também o 1º vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria.

Em 2010 Skaf candidatou-se a governador do Estado de São Paulo pelo PSB, com a proposta de cobrar mensalidades das Universidades Públicas Estaduais. Ele não foi eleito. Ficando como 4º colocado. Já em 2018 ficou em 3º, nesse ano ele também disputou o cargo de governado do Estado de SP.

Propostas

Entre suas propostas estão: o fortalecimento da educação para preparar as próximas gerações para a 3ª Revolução Industrial – a Revolução Tecnológica. A pressão pelo enrijecimento das leis penais e a derrubada da CPMF (Contribuição Provisória Sobre a Movimentação Financeira).

Outra proposta é desafogar o trânsito investindo no transporte hidroviário e aumentar as parcerias público-privadas. Ou seja, Skaf defende a privatização de parte dos serviços públicos.

Investigação pela Polícia Federal

Skaf foi investigado pela Polícia Federal em 2017, após a deleção premiada de executivos da Odebrecht.  Na época Skaf era presidente da Fiesp – (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Skaf foi investigado por corrupção passiva e ativa. O empreiteiro Marcelo Odebrecht declarou que repassou R$ 14 milhões a Palocci e R$ 2,5 milhões a Skaf, a pedido de Steinbruch. Sfak negou todas as acusações.

Luiz Marinho (PT)

Candidatos a governador SP 2022 luiz marinho

Luiz Marinho (PT) é metalúrgico, filiado e atuante no Sindicato dos Metalúrgicos desde a década de 1980. Marinho foi Ministro do Trabalho e Emprego e também ministro da Previdência Social durante o governo Lula. E ainda foi eleito prefeito de São Bernardo em 2008, e reeleito em 2012.

Propostas

Enquanto prefeito de São Bernardo, Marinho reformou as 29 Unidades de Saúde do Município. Criou duas policlínicas e construiu ainda o Hospital de Clínicas.

Na educação, foram criadas 22 mil vagas novas. Isso foi possível com a construção de sete Centros Educacionais Unificados e a construção de 22 escolas de Educação Básica.

Em relação a moradia, foram construídas 4.918 casas populares. E 5.426 lotes foram regularizados.

Para o Estado de SP a ideia de Marinho se chegar a competir provavelmente seria seguir o trabalhado que já deu certo em São Bernardo.

Bloqueio de bens

Em janeiro deste ano a Justiça Federal bloqueou 76,1 milhões dos bens de Marinho. Ele foi alvo de ação civil por improbidade administrativa, caracterizada pela fraude em licitação e desvio de dinheiro público. Marinho negou as acusações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *