Moro 2022 – maior advsersário do Bolsonaro

Atualizado em

Moro 2022 – O ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro é visto por parte da população como alguém que luta incessantemente contra a corrupção. Moro foi o juiz da famosa Operação Lava-Jato em Curitiba que revelou um sistema de corrupção envolvendo a nata da política brasileira e as principais empreiteiras e empresas do país. Ele também foi o responsável pela prisão do ex-presidente Lula.

Moro é polêmico e divide opiniões. Parte da população acredita que ele realmente quer varrer a corrupção do país, e o vê como herói nacional. Por isso, ele certamente teria um bom desempenho nas eleições 2022. No entanto, uma outra parte do Brasil acredita que Moro seja parcial. Que tenha perseguido o ex-presidente Lula e que escolha as prisões que decreta de acordo com o partido político.

moro 2022 eleições presidenciais
Moro 2022

Vamos conhecer um pouquinho melhor a história do juiz que virou ministro da justiça no Governo de Jair Bolsonaro.

História de Sérgio Moro

Moro é graduado em direito pela Universidade Federal de  Maringá. Ele concluiu o mestrado e doutorado no mesmo ano, em 1995. E especializou-se em crimes financeiros. Moro tornou-se juiz Federal já em 1996 e logo começou a trabalhar em escândalos políticos. O juiz atuou no escândalo do Banestado, na Operação Farol da Colina e participou do escândalo do Mensalão.

No entanto, a notoriedade nacional só veio com a famosa Operação Lava Jato. O Moro trabalhou para desmantelar esse sistema de corrupção por 4 anos de 2014 a 2018. De acordo com o Ministério Público esse é o maior caso de corrupção da história do Brasil.

Além dos políticos, a Lava Jato também levou a investigação e prisão de empresários ligados a Odebrechet e a Petrobrás. A Lava Janto culminou na prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT). Moro o sentenciou há 9 anos e 6 meses de prisão. Essa foi a primeira vez na história do país que um presidente foi condenado criminalmente e preso. Na segunda Estância a pena ainda foi aumentada para 12 anos.

Em novembro de 2018, Moro foi nomeado Ministro da Justiça e Segurança Pública pelo presidente Jair Bolsonaro.

A polêmica prisão de Lula

O Lula foi preso acusado de ter comprado um tríplex com dinheiro oriundo da corrupção. A defesa alegou que Lula avaliou o imóvel, mas não teria comprado.

De acordo com as provas apresentadas no julgamento, a Polícia Federal encontrou na casa de Lula documentos que levavam a confirmação da compra do imóvel como o termo de Adesão e Compromisso de Participação. E a proposta de Adesão Sujeita a Aprovação assinada pela esposa do ex-presidente. O documento demostra interesse no imóvel, mas não a compra.

Ainda foi apreendido um documento praticamente em branco, mas que fazia referência ao número do duplex (que se transformou em tríplex). O restante do documento era impossível de ser lido.

No entanto, no Imposto de Renda havia um pedido da família de Lula para que houvesse uma devolução de dinheiro no mesmo valor do imóvel. Mas, a devolução não chegou a ser feita.

O apartamento também não estava mais na tabela de vendas oficiais, o que foi usado como prova. A polícia identificou também, troca de e-mails entre o ex-presidente Lula e o então presidente a OAS solicitando visita ao tríplex.

Durante toda a defesa, Lula alegou que teve interesse no imóvel, que era desejo da falecida esposa, Marisa, adquirir o apartamento, mas disse que nunca fechou o contrato.

A Reforma do imóvel que custou mais de R$1 milhão teria sido solicitada por Marisa, a OAS fez o trabalho gratuitamente. E o valor das obras teria sido descontado da propina geral da Empreiteira com o Partido dos Trabalhadores.

A prisão de Lula ocorreu um ano antes das eleições presidenciais o que impediu o presidente, favorito a vencer a eleição de concorrer ao cargo. Parte da população acredita que trata-se de uma manobra política.

Moro divide o país

Parte da população acredita que as prisões na Lava Jato fizeram parte de um poderoso esquema da direita para voltar ao poder. Já que as principais prisões foram feitas a políticos da esquerda.

Além disso, Moro é amigo de Aécio Neves (PSDB). Já posou, inclusive, em fotografias com o deputado. E possui estreita relação com o PSDB. O pai de Moro, o professor de geografia Dalton Moro, era adepto ao PSDB. Há boatos na internet dizendo que o pai de moro teria fundado o PSDB de Maringá, a família desmente essa versão. Porém admite que Dalton apoiou e ajudou a fazer a campanha para um candidato ligado ao partido em Maringá.

O fato da prisão de Lula ter influenciado no resultado das eleições e de Moro 2022 ter sido convidado para ser Ministro da Justiça, antes mesmo de Bolsonaro assumir o cargo, reforça a teoria da esquerda. De que as prisões tratam mais de perseguição política do que de combate à corrupção.

No entanto, há outra parte da população que vê o Moro como um herói nacional e idôneo, que vai livrar o Brasil dos corruptos.

Pacote anticrime

Como ministro da Justiça e Segurança pública, a medida mais polêmica de Sérgio Moro é o famoso pacote anticrime. Repudiado pela esquerda e ovacionado pela direita. Moro mais uma vez dividiu o país.

O polêmico Pacote Anticrime altera 14 leis de dispositivos como o Código Penal e o Código Eleitoral e precisa passar pelo Congresso.

Leia também: Doria 2022

Os pontos mais polêmicos do projeto são:

Tribunal do Júri: Hoje as pessoas podem recorrer em liberdade a decisão do Tribunal do Júri. Com a nova lei, a pessoa é presa imediatamente após a decisão.

Regra para recurso: Hoje se há votos divergentes sobre a prisão é porque não há certeza absoluta sobre o crime, e por isso, o réu é solto. Com a nova regra, isso só vai valer se o voto que discordar for de um juiz de segunda estância.

Legítima Defesa: A nova lei reduz a pena de quem comete esse crime pela metade em alguns casos a pessoa é absolvida. Parte da população acho isso perigoso, pois o acesso à armas foi facilitado. Sendo assim, a tendência é que cresçam os crimes ditos como legítima defesa.

Regime Fechado: O Regime fechado só é aplicado para crimes a partir de 8 anos de prisão. Com a nova regra outros crimes vão ser enquadrados no regime fechado, como crimes com armas de fogo, corrupção e reincidentes criminais. Ou seja, a nova regra vai aumentar o número de presos no Brasil.

Organização criminosa: Hoje as organizações criminosas são caracterizadas quando 4 pessoas ou mais se unem para tirar vantagem de alguém. Com a nova regra, facções também vão ser enquadradas como organização criminosa como o PCC e o Comando Vermelho. O medo de parte da população é que não há uma especificação do que seja uma Facção. Por exemplo, se 4 pessoas se unirem periodicamente para debater política e organizar estudos e manifestações há um risco de que seja enquadrado também como organização criminosa pela falta de especificidade.

Crime de Caixa 2: Esse crime vai passar a levar o réu de 2 a 5 anos de prisão.

Crime por necessidade: Hoje se a pessoa é presa em flagrante cometendo um crime ela pode ser solta se o juiz entender que a pessoa agiu por uma necessidade maior. A nova lei orienta o juiz a negar a liberdade provisória, mesmo nesse tipo de casa. Ou seja, se alguém roubar alimentos ou assaltar uma farmácia para roubar os remédios também deverá ser preso.

Presídio de segurança máxima: Torna mais duras as medidas de segurança, com mais restrições a visitas e celas individuais para presos. Isso é para evitar manobras de facções nas prisões. Porém também vai dificultar a reabilitação do preso.

Informante: Isso não existe hoje, mas será o sistema de delator. Qualquer pessoa que souber de um crime contra a administração pública terá ouvidorias para fazer a denúncia sem ser identificado. Parte da população se preocupa com este item, pois denúncias de cunho político podem ser feitas. E o medo também é que os crimes contra a administração pública se ampliem para movimentos sociais, como atos e greves.

Moro 2022

Apesar das polêmicas, Moro é um forte candidato às eleições de 2022, com a personalidade forte, o ministro não consegue passar despercebido. Amado e odiado, Moro promete ser um dos personagens das eleições próximas eleições.

Comments 1

  • Aí está o candidato em que todos nós deveríamos nos orgulhar. SERGIO MORO ! Acho que ele não teria chances, pois num país de corruptos e ladrões o ex-Juiz Sergio Moro seria um inimigo inconveniente. Mas quem sabe as pessoas reflitam sobre esta candidatura?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *